GEONATURA: formação universitária gratuita em Sistemas de Informação Geográfica coloca 160 alunos europeus em mobilidade

0

Projeto universitário em Geomática aplicada a problemas socioambientais possibilita intercâmbio de alunos na Europa até ao final de janeiro de 2020 e pretende chegar a milhares de alunos através de um curso online gratuito.

GEONATURA é um projeto europeu desenvolvido no campo dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) que proporciona um curso universitário destinado a alunos de licenciatura, mestrado e doutoramento. Em ação desde fevereiro de 2018, o projeto é coordenado pela NOVA Information Management School (NOVA IMS) e resulta de uma parceria, ao abrigo do programa Erasmus+, entre quatro universidades europeias (Technische Universiteit Delft, University of Glasgow e Universita Degli Studi Di Firenze, além da NOVA).

O projeto GEONATURA, que ganhou recentemente uma bolsa de Erasmus + de quase 250 mil euros, propõe a circulação de alunos de instituições de ensino superior entre Portugal, Itália, Holanda e Escócia para aprender mais sobre Geomática (isto é, disciplina académica que se dedica à recolha, processamento, análise e comunicação de informações geográficas através de, por exemplo, mapeamento digital ou SIG) aplicada a questões relacionadas com a sustentabilidade social e ambiental. O curso aborda temas como desenvolvimento sustentável, desenvolvimento rural, alterações climáticas, smart cities e recursos energéticos renováveis.

Dividido em três fases, a primeira fase do projeto GEONATURA é presencial e consiste num curso introdutório à Geomática de 30 horas que será lecionado nas quatro universidades parceiras com os respetivos alunos locais, em Lisboa, na NOVA IMS. A primeira fase da segunda edição será entre 3 e 7 de setembro de 2018.

Em cada uma das quatro edições será escolhida uma das quatro universidades integrantes do consórcio para acolher a segunda fase do projeto. Também num modelo de ensino presencial, esta segunda fase contará com os dez melhores alunos de cada universidade durante o curso realizado na primeira fase. Para além de aulas, estão planeadas conferências com académicos, empresários ou agentes políticos. Em abril de 2018, a segunda fase decorreu em Glasgow e na próxima edição decorrerá em Delft, em outubro de 2018.

A terceira fase está ainda em desenvolvimento, mas o professor Pedro Cabral, docente da NOVA IMS e responsável pelo projeto, adiantou que “é um curso massivo online” que foi lançado em maio de 2018 e que congrega de forma aprofundada todas áreas abordadas ao longo das frases presenciais. O professor da NOVA IMS observou que “infelizmente” durante as fases presenciais não era possível “cobrir tudo o que vai estar no MOOC”. Os módulos serão lecionados no Massive Open Online Course (MOOC) através da plataforma online MiríadaX.

Em vez de seguir um modelo de ensino tradicional, GEONATURA assume-se como praticante de um método de ensino inovador. Recorre, por exemplo, a plataformas de e-learning, e-books e aplicações que podem ser acedidas através de tablets e smartphones, entre diversos softwares desenvolvidos no âmbito dos Sistemas de Informação Geográfica de alta tecnologia.

Bolsas europeias apoiam a mobilidade dos alunos

Na primeira edição, a segunda fase do curso foi realizada em Glasgow durante o mês de abril. Deslocaram-se 40 alunos provenientes de todas as universidades parceiras à universidade escocesa. A mobilidade dos estudantes foi garantida através de bolsas que foram atribuídas aos alunos que passaram à segunda fase do projeto. 

As bolsas providenciam ajuda financeira relativa aos custos associados a alimentação, estadia e voos. No entanto, “os alunos têm que ser muito criativos para conseguir sobreviver em Glasgow com o valor da bolsa”, alertou o professor Pedro Cabral.

Apesar de ser de custo zero e destinado a todos os estudantes de ensino superior (1º, 2º e 3º ciclos), os alunos que queiram participar no curso estarão sujeitos a um processo de seleção, que inclui o envio de currículo e entrevista, não sendo esperados dos alunos conhecimentos prévios na área dos Sistemas de Informação Geográfica.

Acresce que, em igualdade de circunstâncias, dar-se-á prioridade a alunos oriundos do Arquipélago dos Açores. Quando questionado sobre este critério, o docente da NOVA IMS Pedro Cabral respondeu que se trata de “uma prioridade definida pela Agência Nacional Erasmus +”. Os alunos interessados poderão saber mais detalhes do processo de seleção e respetivo calendário no site da NOVA IMS.

Depois da abertura da primeira edição, em fevereiro de 2018, o projeto GEONATURA continua até ao final de janeiro de 2020. Quando questionado quanto à possibilidade de extensão do projeto para além da meta 2020, o  Pedro Cabral garantiu que o objetivo do projeto é a partilha de conhecimentos entre as universidades parceiras. “Criámos um consórcio de quatro universidades que trabalham com sistemas de informação geográfica e agora está aqui uma ponte lançada para continuarmos a trabalhar juntos. Por exemplo, trazer novos projetos de formação ou projetos de investigação científica comuns”, sublinhou o docente da NOVA IMS.

Ao longo das suas quatro edições, o projeto irá impactar diretamente 320 alunos, dos quais 160 passarão à fase de mobilidade internacional. “Temos a expectativa de chegar a milhares de pessoas através do MOOC”, remata o professor Pedro Cabral.

Partilhe.

Sobre o/a autor/a

Envie uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.