FCSH/NOVA abre as portas à inovação

0

Prémio Nacional de Indústrias Criativas esteve na FCSH/NOVA à procura de ideias originais e com potencial de negócio.

O Roadshow Prémio Nacional de Indústrias Criativas /The Next Big Idea teve a sua última paragem na FCSH/NOVA, dia 11 de março. A iniciativa promovida pela Unicer, através da marca Super Bock, e pela Fundação de Serralves, tem como objetivo encontrar projetos que conciliem criatividade, empreendedorismo e inovação.

Esta é 8 ª edição do Prémio que desde 2014 conta com o programa The Next Big Idea como parceiro de produção e divulgação. Rita Vieira, membro da True Stories, produtora do programa da SIC Notícias, explica que o  prémio tinha necessidade de uma divulgação cada vez maior, e, ao mesmo tempo, contactar diretamente com os projetos.

“Por exemplo, o formulário de candidatura envolve uma descrição do projeto, no entanto, nem todos os candidatos conseguem fazê-lo da melhor forma, nem todos têm o dom da escrita. Chegaram à conclusão que havia elementos que não estavam tão bem descritos ou trabalhados, e que podiam ser valorizados no prémio. É aí que nós entramos ”, esclarece Rita Vieira. Em cada sessão do Roadshow, que conta com uma média de 15 participantes, os candidatos têm a possibilidade de apresentar os seus projetos e gravar um pitch de cinco minutos que é anexado à candidatura.

Até dia 29 de abril são conhecidos os dez finalistas, cujos projetos serão transmitidos no The Next Big Idea, emitido diariamente no canal informativo da SIC. Na fase seguinte, que decorre entre os dias 16 de maio e 3 de junho, os candidatos têm de elaborar um plano de negócio. O vencedor final recebe um prémio no valor de 25 mil euros e é acompanhado pelos parceiros do prémio. Em novembro,  viaja até Copenhaga onde representará Portugal no Creative Bussiness Cup, competição internacional que se realiza desde 2012 na cidade dinamarquesa.

O vencedor recebe um prémio de 25 mil euros e representa Portugal no Creative Bussiness Cup, em Copenhaga.

Há nove anos a promover o empreendedorismo

O Prémio Nacional de Indústrias Criativas realiza-se, anualmente, desde 2007. Podem participar candidatos individuais ou coletivos, com mais de 18 anos, bem como micro e pequenas empresas em fase de criação. Os projetos em competição estão agrupados em quatro categorias – Arquitetura e Artes Visuais, Música e Artes do Espetáculo, Conteúdos e Novos Media e Turismo e Património. O vencedor é escolhido com base em critérios de criatividade, originalidade e potencial de mercado.

O júri é constituído por 12 personalidades: um representante da Super Bock e da Fundação de Serralves, bem como um representante de cada parceiro (Agência Nacional de Inovação, Universidade Católica Portuguesa, Escola Superior de Arte e Design, Universidade do Porto, Brand New Box, Agência para a Competitividade e Inovação, Fundação da Juventude, BPI, Associação Nacional de Jovens Empresários e Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas).

 

Partilhe.

Sobre o/a autor/a

Matilde Ferreira encontra-se num lugar estranho entre a timidez e a tagarelice. Descobriu as primeiras estórias nos livros infantis que leu vezes sem conta e começou a escrever nos diários de menina. Aos 6 anos tropeçou na dança e conheceu as estórias contadas sem palavras, com música e movimento. Atualmente estuda Ciências da Comunicação. Continua a dançar nos palcos da vida, a ouvir e contar estórias, em diários um bocadinho menos secretos.

Envie uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.